A realidade bíblica sobre o inferno

44
8043

Introdução
O debate sobre o inferno tem sido reacendido. Por diversas vezes, pregadores conhecidos e desconhecidos têm procurado dar suas visões acerca do inferno. Mais recentemente, um famoso preletor para jovens negou que o inferno seja real e/ou eterno. Alguns de seus livros têm sido traduzidos para nossa língua, bem como a sua série Nooma. Estou falando do Rob Bell, que recentemente causou estranheza

no mundo cristão ao afirmar: um Deus amoroso jamais sentenciaria almas humanas para o sofrimento eterno. Será?

Parece que tem sido moda1  (ou ressurgimento de antigas heresias) negar a existência e eternidade do inferno. Tudo em nome de anunciar uma mensagem que transija com o “bem-estar” e, principalmente, com a filosofia pluralista e a pseudotolerância de nosso século. A fim de transmitir a imagem de “pastores e pregadores” contemporâneos, tolerantes e “bona fide”, esses tais reformulam o amor de Deus, ensinando que “um Deus de amor não lançará ninguém no inferno”. Será contraditório um Deus de Amor condenar homens ao inferno? Se Deus realmente é amor, então como ele pode mandar alguém para o inferno?

No texto que lemos encontramos a seriedade com que Jesus alertou sobre esse terrível lugar. Jesus não disse que era um estado espírito, como querem alguns “pregadores modernos e adocicados”. Na verdade, nesta exposição temática, veremos o que a Escritura ensina sobre esse lugar terrível e algumas objeções levantadas por aqueles que negam o caráter eterno da punição. Rogamos a Deus que nos conceda cuidado, compaixão e, sobretudo, fidelidade ao pisar nesse terreno.

OPÇÕES OFERECIDAS PARA O DESTINO FINAL – SÃO BÍBLICAS?
Não parece ser uma boa opção alguém passar a eternidade em sofrimento. É isto que se deduz da palavra “inferno” e das expressões usadas por Jesus: tormento e sofrimento. No entanto, têm-se oferecido outras opções sobre o destino eterno dos homens. Quero avaliá-las nesse momento, pois elas respondem à pergunta: o que acontece conosco quando morremos? A seguir nos voltaremos para o texto bíblico em exame. São elas:

I.    Reencarnação – tem sido a visão mais popular. Os que ensinam essa concepção nos dizem que temos múltiplas e sucessivas vidas. No túmulo de Alan Kardec tem o seguinte lema: “Nascer, morrer, renascer e progredir sempre; está é a lei”. A Escritura não ensina reencarnação. Antes, ela diz: “aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo” (Hb 9. 27).

II.    Materialista/Naturalista – este grupo, embora menor, tem forte expressão. Eles nos dizem que não temos alma, que somos apenas corpo e que, ao morrer, deixamos de existir.  Tomando as Escrituras como autoritativa, encontramos o Senhor Jesus dizendo: “E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo” (Mt 10.28).

III.    Universalistas – alguns contemporâneos têm adotado essa visão. Entre eles o próprio Rob Bell. É também a teoria exposta no livro A Cabana (William P. Young, Ed. Sextante, 2008). Eles ensinam que no final todos que estão no inferno serão salvos e o inferno esvaziado. Por pensarem que todas as religiões conduzem a Deus, entendem então que todas as pessoas serão salvas. Porém, não é isso que Jesus Cristo ensinou. Na verdade, a própria morte de Jesus é sinal de que apenas alguns serão salvos (Cf. Mt 202.8; Mc 10.45). Também disse Isaias ecoado em Paulo: “Também Isaías clama acerca de Israel: Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo” (Rm 9.27).

IV.    Purgatório – esta é a doutrina esposada pelo Catolicismo Romano. De fato, a não ser no Livro Apócrifo de 2 Macabeus 12.46, as Escrituras não reconhecem tal doutrina. O que ela ensina? Ouçamos o que diz o Catecismo Católico: “Os que morrem na graça e na amizade de Deus, mas não estão completamente purificados, embora tenham garantida a sua salvação eterna, passam, após a sua morte, por uma purificação, a fim de obterem a santidade necessária para entrarem na alegria do céu”(C.C, 1030 – 1032).

v.    Aniquilacionismo – é a crença de que os incrédulos não irão sofrer eternamente no inferno, mas que, após algum tempo, serão extintos e deixarão de existir. Embora homens de Deus como John Stott tenham crido nesta doutrina, à luz das Escrituras e da História da Igreja como registrada nas Confissões, a posição cristã tem sido de que os ímpios sofrerão eternamente no inferno. Ouça o que diz a Escritura: “E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.”(Ap 20.10; Cf. 14. 9 -11; 19.20).

O ENSINO BÍBLICO SOBRE O INFERNO
Por três vezes no texto, Jesus adverte aos discípulos: “melhor é para ti entrares na vida-reino de Deus – aleijado, coxo e cego – do que ires para o inferno” (v. 43, 45, 47). A cada advertência Jesus também acrescenta algo sobre o inferno: “para o fogo que nunca se apaga [ARA- inextinguível] (2x)” seguida de outro qualificativo: “onde o seu bicho não morre” 2.

Que descrição terrível vindo da doce voz do Senhor!

Precisamos lembrar que os discípulos não se impressionaram com a descrição. Por quê? Embora fosse uma nova revelação no ministério de Jesus, a descrição já era conhecida pelos discípulos na leitura dos Profetas: “e sairão [os eleitos], e verão os cadáveres dos homens que prevaricaram contra mim; porque o seu verme nunca morrerá, nem o seu fogo nunca se apagará; e serão um horror a toda a carne” (Is 66. 24). Diante das palavras de Jesus e, agora, considerando o todo da revelação bíblica, vejamos qual é o ensino bíblico sobre esse lugar.

Primeiro, o inferno é um lugar real – Jesus diz que as pessoas “vão para o inferno”. O verbo (eiseltein) usado implica em “deslocar-se” ou “separar-se”. No nosso texto usa-se com a preposição (eis) e o substantivo ten geennan. Essa construção gramatical dá a noção espacial . Desse modo, o que Jesus quer dizer é que alguém é “separado para dentro da Geena”. Mas, o que era a Geena?

A palavra traduzida por “inferno” (geena) era uma referência a um lugar chamado de “Vale de Hinom” (Cf. Js 15.  8; 16.18; 2 Rs 23. 10; 2 Cr 33.6). Ficava ao sul de Jerusalém e lá, os antigos judeus apóstatas, sacrificaram seus filhos ao deus pagão Moloque (Cf. 2 Cr 16.3; 21.6; Jr 7. 31; 19.5,6; 32.35). Foi o Rei Josias quem pôs fim a essa prática e transformou o lugar num lixão da cidade. Ali eram jogadas as carcaças de animais que eram queimadas dia e noite. Havia um fogo por baixo do monturo e, por não faltar carniças, nunca deixava de haver vermes.

Veio a ser, portanto, o designativo do lugar de juízo de Deus e se passaria a chamar “Vale da Matança” (Cf. Jr 7. 32;
19. 6, 7). Ao dizer, então, que os ímpios “vão para a Geena [inferno]” têm-se uma ideia acerca do horrível lugar. Decerto que não havia outra figura para demonstrar quão terrível e miserável é o inferno. Não havia descrição mais chocante para descrever sofrimento e tormento. Então, afirmamos à luz das Escrituras, o inferno é um lugar real.

Segundo, é um lugar de consciência – ora, ao dizer que “é melhor isso do que aquilo”, Jesus Cristo revela que aqueles que vão para o inferno estão conscientes de suas escolhas. Poderiam ter escolhido “ficar sem uma mão, um pé ou um olho” e entrar no reino de Deus, mas preferiram perder a sua vida. Semelhante imagem apresenta no v. 42 – “melhor lhe fora que lhe pusessem ao pescoço uma pedra de moinho e que fosse lançado no mar” – em que aquele que fosse motivo de tropeço para um crente mais pequenino estava ciente do tropeço causado. Também o causador de tropeço estava consciente de sua pedra no pescoço e do lugar onde estava se lançando. De igual modo, aqueles que vão para o inferno saberão onde estão e por que estão ali.

Terceiro, é um lugar de permanente sofrimento – quando Jesus diz que “o fogo nunca se apaga e o verme não morre”, aponta para uma realidade permanente. O que mantém o fogo aceso é a existência de material para combustão. No inferno não faltará material para combustão. Claro que, ao usar a referência de “fogo” pode-se muito mais falar do sofrimento sob o juízo divino do que sob “chamas literais”, de acordo com alguns comentaristas. Diz Anthony Hoekema: “O objetivo das figuras, porém, é que o tormento e angústia internos, simbolizados pelo verme, nunca terão fim e os sofrimentos exteriores simbolizados pelo fogo nunca cessarão. Se as figuras utilizadas nesta passagem não significam sofrimento sem fim, então elas não significarão coisa alguma”.

Por diversas vezes, Jesus usa figuras semelhantes para falar do sofrimento eterno. Por exemplo, Jesus disse que é um lugar descrito como uma “fornalha de fogo” onde “haverá choro e ranger de dentes” (Mt 13.50; ); Jesus disse que os justos irão para vida eterna, mas os ímpios para “o tormento eterno” (Mt 25.46). Ora, não faria sentido pensar que os justos estarão junto a Deus por toda eternidade e, no mesmo texto, Jesus pensar que o tormento é temporário. O inferno também é chamado de “trevas” (Mt 25.30; 22.13). Em outra designação é que os que são destinados ao inferno “ira e indignação […] tribulação e angústia”(Rm 2. 6-9). De acordo com João, os ímpios serão “atormentados de dia e de noite pelos séculos dos séculos” (Ap 20.10). De acordo com Apocalipse 19.20, a Besta e o Falso Profeta foram lançados vivos no “lago de fogo e enxofre”. Porém, depois de Mil Anos eles ainda estavam lá, onde receberão a companhia do diabo (Cf. Ap 20.10).

Quarto, o inferno é o lugar da Ira de Deus – quando Jesus diz “fogo que nunca se apaga”, isso nos fala não apenas do sofrimento, mas também da ira de Deus. Em mais de 600 lugares, a Bíblia fala sobre a ira de Deus. No caso específico do inferno, o fogo não é purificador, mas o “fogo da ira de Deus”. Alguns há que costumam colocar os atributos de Deus uns contra os outros, como se, porventura, algum atributo de Deus prevalecesse sobre os demais. Porém, a justiça de Deus, bem como seu amor e soberania, exigem a existência do inferno4 . Porque Deus é justo, ele não pode contemplar os pecados (Hb 1.13). Porque Deus é amor e amou ao mundo, aqueles que rejeitam esse grande amor rejeitam tão grande salvação (Hb 2.3).  Porque Deus é soberano, o mal precisa ser derrotado. Deus vencerá no final (Ap 20). O inferno, portanto, é o efeito da Ira de Deus. Conclui-se daí que o inferno não é governado por Satanás, mas Deus Reina também no inferno. Como disse William Hendriksen:5 “o inferno é inferno porque Deus está lá, Deus em toda a sua ira (Hb 12.29; Ap 6.16). O céu é céu porque Deus está lá, Deus em todo o seu amor. É desta presença de amor que o ímpio é banido para sempre.”

Quinto, Jesus ensina que é possível livrar-se de ir para o inferno – ao dizer “melhor é isso do que aquilo”, Jesus apresenta uma maneira de ser lançado no inferno. Diante do contexto maior (8.34ss), fica claro que os “seguidores de Jesus Cristo”, porque renunciaram aos seus pecados, negaram-se a si mesmo, tomaram a sua cruz e, até mesmo, perderam a sua vida “por amor de mim [Jesus Cristo] e do Evangelho” (Cf. 8.35). Assim, ao fazer a comparação entre o que é “melhor”, estamos diante do teste do Senhor para saber quem é seu discípulo ou não. Aqueles que não renunciam seus pecados aqui terão de sofrer com eles longe da Glória de Deus, em eterno sofrimento. Jesus apresentou o preço a se evitar.

Outra coisa, por duas vezes Jesus diz “entrares na vida” (v. 43, 45) e uma vez diz “entrares o reino de Deus”. Ficamos sabendo pelo interlocutor João que ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo (Jo 3.7). Por “novo nascimento” o cristianismo ensina ser “a alegria sincera em Deus, por Cristo (1) , e o forte desejo de viver conforme a vontade de Deus em todas as boas obras (2). (Is 57:15; Rm 5:1,2; Rm 14:17. (2) Rm 6:10,11; Gl 2:19,20)” (Catecismo de Heidelberg, p. 90).

O próprio Jesus reconheceu que o inferno não foi preparado primeiramente para o homem, mas para o “Diabo e seus Anjos” (Mt 25.41). E para livrar o homem de ir para o inferno, “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”(Jo 3.16). Porém, porque o homem permanece indiferente a Jesus Cristo, ou seja, não crê no Filho, então “não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece” (Jo 3.36).

E, ENTÃO?
Existem temas nas Escrituras que são dolorosos. Falar sobre o inferno é um desses temas. Porém, a doutrina sobre o inferno é parte da Teologia Bíblica, e como prova disso, o Senhor Jesus e seus apóstolos a ensinaram repetidamente.  Como disse o Bispo John Ryle, “não há misericórdia alguma em ocultar dos homens o assunto a respeito do inferno. Por mais temível e tremendo que seja o inferno, ele deve ser uma realidade fortemente inculcada sobre todos, como uma das grandiosas verdades do cristianismo. O apóstolo João, no livro de Apocalipse, com frequência o descreveu. Os servos de Deus, hoje, não devem sentir-se envergonhados de confessar a sua crença nesse assunto. Se não houvesse ilimitada misericórdia em Cristo, para todos aqueles que nele creem, bem poderíamos nos esquivar desse temível tópico” (1994, p. 119).

Não pensem que é fácil falar sobre os milhões que passarão a eternidade no lago de fogo. Alguns amigos até acham minha posição meio dantesca e, por isso, medieval. No entanto, minha tarefa como ministro do Evangelho é falar a verdade, seguir os passos do Mestre, mesmo que, ao expor essa doutrina, alguns se sintam incomodados com ela. Muitos estão a passos largos no caminho do inferno, caminhando sobre um grande abismo que não se abre para engolir alguns dos tais, tal como engoliu vivo a Datã, Coré e Abirão (Nm 16. 30-33) por causa das muitas misericórdias de Deus, desse mesmo Deus que eles provocam a sua ira.

Muitos ainda amam os seus pecados e, de forma enganosa, acreditam que podem desfrutar da eternidade com Deus sem seus pecados serem perdoados. Qual não será a surpresa de muitos ao perceberem que estão debaixo da Ira de Deus, simplesmente porque relutam em amar a Deus. Não é amor aos amigos e inimigos se não se anunciar o perigo que estão correndo. Talvez seja preciso que alguns precisem sentir o fogo do abismo queimando sob seus pés.

Dirijo-me àqueles que ainda não despertaram para conversão e para o perigo que estão correndo.

O inferno é para todos que não estão em Cristo. Hão de suportar o peso da ira de Deus. Foi João quem disse que Deus mesmo pelejará contra os que não se converteram ou que pensam que são convertidos. O Senhor Disse: “Eu sozinho pisei no lagar, e dos povos ninguém houve comigo; e os pisei na minha ira, e os esmaguei no meu furor; e o seu sangue salpicou as minhas vestes, e manchei toda a minha vestidura” (Is 63.3). Outra vez João, o Discípulo do Amor, viu a cena terrível: “E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso”(Ap 19.15).

Não há nada entre eles e o inferno a não ser a misericórdia de Deus. Mas lembrem-se: Ele está irado e quem pode lhe impedir de agir contra os seus pecados? Alguns supõem equivocadamente que está tudo bem com eles porque têm saúde, prosperidade, alegria, vão à igreja e desfrutam das bênçãos comuns de Deus. Mas isso não é garantia de que serão livres do inferno. A única garantia encontra-se no Cordeiro de Deus, que sofreu a Ira de Deus pelos homens. Se isso não é amor de Deus, em entregar o seu Filho por pecadores, não sabemos, então, o que é amor.

E estou a par de que essa mensagem não é popular. Sei também que alguns encontrarão pessoas que procurarão lhes dissuadir da realidade do inferno. Mas, “por que a cruz e todo sofrimento [de Jesus ], a não ser que haja o inferno? A morte de Cristo perde o seu significado eterno a não ser que haja uma separação de Deus da qual as pessoas precisam ser salvas” 6.  Não pense, também, que o inferno é apenas uma ameaça, e não uma realidade. Se assim o fosse, Deus seria mentiroso. Deus não usa mentiras para atrair aos homens.

Como disse, essa não é uma mensagem popular. Mas ela é verdadeira porque a Bíblia é verdadeira, porque Jesus Cristo é verdadeiro e não pode mentir. Seja Deus verdadeiro e os homens mentirosos (Rm 3.3). Meus amigos, a visão que temos de nossos pecados não é um mínimo daquilo que Deus vê em nós. Certa vez, o pregador Jonathan Edwards, amparado numa visão estritamente bíblica, nos deu um quadro dos pecados dos homens:

Vossas iniquidades vos fazem pesados como chumbo, pendentes para baixo, pressionados em direção ao inferno pelo próprio peso, e se Deus permitisse que caíssem vocês afundariam imediatamente, desceriam com a maior rapidez, e mergulhariam nesse abismo sem fundo. Vossa saúde, vossos cuidados e prudência, vossos melhores planos, toda a vossa retidão, de nada valeriam para sustentar-vos e conservar-vos fora do inferno. Seria como tentar segurar uma avalancha de pedras com uma teia de aranha. Se não fosse a misericórdia de Deus, a terra não suportaria vocês por um só momento, pois são uma carga para ela. A natureza geme por causa de vocês. A criação foi obrigada a se sujeitar à escravidão, involuntariamente, por causa da vossa corrupção. Não é com prazer que o sol brilha sobre vocês, para que sua luz vos alumie para pecarem e servirem a satanás. A terra não produz de bom grado os seus frutos para satisfazer vossa luxuria. Nem está disposta a servir de palco à exibição de vossas iniqüidades. Não é voluntariamente que o ar alimenta vossos corpos, mantendo viva a chama dos vossos corpos, enquanto vocês gastam a vida servindo os inimigos de Deus. As coisas criadas por Deus são boas e foram feitas para o homem, por meio delas, servisse ao Senhor. Não é com prazer que prestam serviço a outros propósitos, e gemem quando são ultrajadas ao servirem objetivos tão contrários à sua finalidade e natureza. E a própria terra vomitaria vocês se não fosse a mão soberana dAquele a quem vocês tanto tem ofendido. Eis aí as nuvens negras da ira de Deus pairando agora sobre vossas cabeças carregadas por uma tempestade ameaçadora, cheia de trovões. Não fosse a mão restringidora do Senhor, elas arrebentariam imediatamente sobre vocês. A misericórdia soberana de Deus, por enquanto, refreia esse vento impetuoso, do contrário ele sobreviria com fúria, vossa destruição ocorreria repentinamente, e vocês seriam como palha dispersada pelo vento”

Portanto, Deus está exortando-lhes, em nome de Cristo, por essa palavra rogando-lhes que se reconciliem com Deus (2Co 5.11-20). Não há muitas opções. É estar em Cristo ou longe dele. É céu ou inferno. Não brinque de cristão, não brinque de crente, não brinque de religiosos ou mesmo ateu. O Senhor Jesus é o seu Deus e Salvador? De fato, você já o recebeu e, portanto, pode ser contado entre os Eleitos do Senhor? O machado já está posto à raiz e “toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo” (Mt 7.19), disse o Senhor Jesus. Onde estão os frutos? O Senhor ainda disse: “Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem” (Jo 15. 6). Se isso não for uma realidade em sua vida, então a Ira de Deus permanece sobre você e você será lançado no inferno, no lugar que foi criado para o diabo e seus anjos. Rejeitando a presença de Deus, você estará em companhia do diabo e seus anjos. Fuja para os braços misericordiosos do Senhor Jesus enquanto é tempo!

44 COMENTÁRIOS

  1. De fato ‚ um tema complexo, mas ‚ possível ter outras leituras. O nosso senso de justiça ‚ meritório e compensatório. A tradição bíblica estar inserida em uma cultura grega, no caso do Novo Testamento. É importante pensar na palavra e seu contexto. Num primeiro momento a palavra hebraica sheol designava morada de todos os seres humanos, independentes se bons ou maus. Na tradução dos Setenta (hebraico-grego), a cultura grega imperou no texto traduzindo sheol para hades. Ambos os conceitos não tinham nenhuma intenção de apontar como um lugar de castigo aonde iria os maus. Com a predominância da cultura grega no texto sagrado, cultura essa que separava alma-corpo, ideia que o Antigo Testamento não conhece, compreendeu que para a alma haveria de ter um lugar especifico, tanto para bons quanto para maus. Assim alguns textos do Novo Testamento trazem essa concepção, por exemplo, Mt 11,20-24. Marcos 9,42-47 ‚ um exemplo para a comunidade.

  2. Muito bom! Muito bom! Muito bom! Esta palavra nos ‚ como um b lsamo … alma. Se queres ter vida vem a mim, diz o Senhor. Que Deus continue abençoando-te com revelação de conhecimento para nos edificar e nos exortar, como est  fazendo. Foi maravilhoso mesmo este estudo. Obrigado, Deus, e que nós possamos colocar em pratica o estudo da Palavra e sermos bênçãos para outros… am‚m.

  3. Como sempre na história cristã, as heresias surgem no horizonte e tendem se espalhar. A negação da realidade do inferno ‚ terreno f‚rtil no nosso tempo pós-moderno, onde se relativiza tudo e se combate o absoluto, o incondicional. Por que não se nega a realidade do c‚u? O irmão Gaspar de Souza merece nosso elogiu. Vozes como essas precisam ecoar nos nossos centros de formaçäes de obreiros. Como Mestre e professor de Teologia Sistem tica em nosso semin rio, dou meus parabéns pelo seu coment rio!

  4. Em primeira instância quero agradecer a Deus pela vida de pastores que tem a coragem de mostrar o lugar do inferno na pregação.

    Este estudo mostra de forma clara a realidade do c‚u e do inferno, ele deixa os pecadores cientes de que irão para um desses dois lugares, por‚m não creio que a ida a um desses dois lugares depende dos pecadores, mas de Deus, de usar misericórdia para com eles.
    Creio que a salvação foi projetada na eternidade e que os eleito de Deus ao ouvirem a pregação do evangelho, responderão com f‚ salvífica. O final deste estudo deixo a entender que os pecadores devem se arrepender de seus pecados, não porque Jesus ‚ o único caminho, mas porque o inferno ‚ algo chocante, sofredor e de tormento eterno. O problema do pecado vem desde o inicio da queda quando Adão e Eva ofenderam a Deus. Deus em sua Soberania resolveu salvar uns e outros não Rm. (9. 19-22).

    Parabenizo o autor do estudo, mas a minha visão teológica hoje e sempre ser  reformada.
    SOLI DEO GLORIA!!!!

  5. Excelente exegese. A Palavra de Deus ‚ perfeita e o professor Gaspar ‚ muito feliz em sua an lise deste tema tão relevante. O Espírito Santo escreve para todas as culturas e em todas as ‚pocas estabelecendo que não h  outro caminho, Jesus Cristo ‚ o único caminho que nos atrai de volta a presença de Deus Pai para uma eternidade em Sua presença pelos m‚rito do Senho Jesus Cristo. Assim os que não estiverem em Cristo estarão após a morte ou vinda de Cristo, em uma terrível dimensão atemporal de sofrimento inexprimível. parabéns ao Mestre e Pastor Gaspar.

  6. Infelizmente, os tradutores colocaram a palavra “inferno” na Bíblia ao inv‚s de preservar os termos originais ou traduzi-los da forma correta. A palavra inferno ‚ latim (inferi) e significa inferior, que vai para baixo. O termo foi distorcido pela filosofia greco-romana e não faz parte do pensamento bíblico judaico.”Os perversos serão lançados no inferno, e todas as naçäes que se esquecem de Deus.” Salmos 9:17.
    A palavra hebraica no texto ‚ “sheol” e se refere ao “mundo dos mortos”, “sepultura”, etc. Mas, JAMAIS ela ‚ empregada na Bíblia com o sentido de lago de fogo (outros termos sim, mas, referindo-se ao fogo que castigar  e consumir  os pecadores não arrependidos DEPOIS do milênio – ver (Apocalipse 20).

    Daniel de Oliveira
    Estudante de Teologia da Universidade Adventista de São Paulo

  7. É bem verdade q alguns temas bíblicos se
    Perderam no caminho da historia da igreja
    Não q extinguiram, mas que foram colocados
    De lado devido sua falta de popularidade,
    Pior ainda ‚ notar q se tenta distorcer
    Para melhor se adequar ao nosso tempo
    A tentativa d interpretar como sepulta
    As palavras q se referem ao inferno me parece
    Uma deslealdade para com o novo testamento
    Onde a doutrina sobre o inferno ‚ mais objetava
    Lembramos sempre q ‚ o novo testamento q
    Interpreta o velho, saímos da sombra para
    Para revelação, temos um DEUS q se revela na historia
    Usando contexto histórico, e não criando coisa fictícia
    Para revelar verdades eternas, nosso senso de justiça
    Não ‚ o de DEUS. Em outras palavras acredito
    Q o inferno ‚ o lugar parar aquele que escolheu viver
    Afastado de DEUS

  8. Minha admiração ao Pr Gaspar como em quase todo ensino da Bíblia são colocados no formato simbólico e figurativo, fico a pensar, porque aqueles que ministram a Palavra, (principalmente os que buscaram o conhecimento no original e compararam a aplicação da verdade … luz da cultura de cada povo) se calaram ? ser  porque com o anel do bacharelato ou doutorado só abria a caixa branca se fosse pago? ou se houvesse ou plateia ou público … altura ? A promessa ou o galardão a esses, estar… incerta. Veja que glória !… e os que a muitos ensinam a justiça, refulgiraä como as estrelas sempre e eternamente. Dn. 12: 3

  9. Caro Gaspar,
    O assunto exige outras consideraçäes:
    1 – Se o lago de fogo não extermina porque ‚ chamado de segunda morte se as almas aí nunca morrerão realmente? Ainda mais que as almas que vão para l  terão um corpo de novo.
    2 -Porque no mesmo Ap 20:9 ‚ dito: …mas desceu fogo do c‚u e os devorou . Se as almas vão queimar para sempre, o que foi devorado aqui?
    3 -Lc 12:47 diz que alguns receberão poucos açoites e outros muitos açoites. A id‚ia aqui ‚ de uma pena finita e não eterna.
    4 -Mt 10:28 Cristo diz que a alma e o corpo podem PERECER e não padecer.
    5 -Jer 51:57 … e dormirão um sono perp‚tuo, e não acordarão… Aqui não pode estar se referindo a um sono só do corpo pois que os ímpios também rescussitarão.
    6 -1Co 15:53 … e que isto que ‚ mortal se revista da imortalidade. Aqui ‚ dito que os salvos serão revestidos da imortalidade e não salvos e condenados
    7 -1 Timóteo 6:15,16 …aquele que tem, Ele só, a imortalidade.
    Ainda poderia citar outros mas não vai cabe

  10. parabéns, parabéns, parabéns!
    Muito bom, que o Espírito Santo continue lhe usando sempre de maneira tão tremenda e assim vamos todos nos edificando e crescendo no conhecimento das das coisas do ESPÍRITO DE DEUS.
    Que o SENHOR te proteja, guie e guarde. Graça e paz !!
    Amado irmão! Eu adorei a ADVERTÒNCIA: NÃO BRINQUE DE SER CRISTÇO! NÃO BRINQUE DE SER CRENTE!.
    ALEXANDRE, I-N-V-S-C….

  11. Parabenizo o irmão Gaspar pelo sua exegese. Porque ningu‚m gosta de falar do inferno e sim do c‚u?
    Portanto Deus ser  justo ou não? Para o c‚u todos querem ir, mas não pelo verdadeiro caminho Jesus (João 14.6). Portanto fico com Atos 4.12 aqueles que almejam o c‚u como todos assim querem precisam ficar em Jesus e mudar sua postura a cada di.

  12. ACREDITO QUE DEUS NÃO ENVIARIA JESUS AO MUNDO SEM MOTIVO,ELE (JESUS),VEIO PARA NOS SALVAR DO INFERNO.DEUS PODERIA MOSTRAR-NOS TODO O OCULTO DE CÉU E INFERNO,MAS SE O FIZESSE PARA QUE A MORTE TÇO SOFRIDA DE JESUS? SE DEUS NOS REVELASSE TODO SEU PODER DE FORMA CLARA,COM CERTEZA NOS FARÍAMOS A OPÇÃO DE IRMOS PARA O CÉU.DEUS QUER QUE O ACEITEMOS NÃO PELO QUE ELE PODE NOS PROPORCIONAR,MAS PELO QUE ELE É.NÃO SERIA DEUS INJUSTO SE,AQUELES QUE O ACEITARAM,AQUELES QUE SE ESFORÇARAM,AQUELES QUE CREEM EM SUA PALAVRA,FOSSEM PARA O CÉU E NO FINAL TODOS OS QUE CONTRARIARAM TAMBÉM ENTRASSEM NO CÉU? O CARáTER DE DEUS É PERFEITO,NELE NÃO Há INJUSTIÇA.DEUS TEM DADO A TODOS TEMPO PARA RECONHECEREM QUE ELE É O SENHOR.

  13. Que claridade na exposição do inferno com tantos textos bíblicos, que não trazem nenhum triz de dúvida e compreensão – Indico que os amados irmãos acessem no GOOGLE a experiência pessoal de BILL WIESE – 23 MINUTOS NO INFERNO ( PDF ) – As vezes somente lendo na Bíblia os textos, não percebemos a TÇO GRANDE gravidade de ir para o inferno – Mas tomando conhecimento de quem esteve l  e Deus permitiu que retornasse, mudamos a ótica – a realidade ‚ tão terrível que faltam palavras para expressarmos – Ao lembrar do que li, choro e fico muito triste de saber que TANTOS

  14. Palavra muito edificante! Pois ‚ um tema um tanto quanto polêmico e desafiador. Considero o expoente desse sermão corajoso, devido este tema estar tão escasso no púlpito das igrejas brasileiras. Parabenizo-o pela riqueza de detalhes e pela profundidade do assunto abordado. Graça e paz.

  15. Muito bom o estudo sobre o inferno. Eu j  não tinha dúvidas, mas quando estudamos um artigo como esse, só nos aumentam a certeza de quão grande ‚ o privil‚gio que temos de servir a um Deus tão maravilhoso. Sabemos que o inferno ‚ tão real quanto o C‚u. Por isso, devemos estar constantemente pregando a palavra de Deus para fazer conhecido O nosso Salvador Jesus Cristo. Disse Ele: Eu Sou O Caminha, A Verdade E A Vida. Ningu‚m est  livre do inferno se não caminhar por Mim.

  16. Ningu‚m precisa se arrepender se estiver indo para o c‚u. Mas se estiver indo para o inferno, sim. Arrepender-se ‚ mudar de direção, de atitude, de ideia e de vida. Segundo a Bíblia, h  festa no c‚u quando um pecador se arrepende. Não quando algu‚m aceita a Jesus. Mas, quando se arrepende. Que convencidos pelo Espírito Santo possamos entrar pelo caminho estreito, que leva a vida, e não pelo caminho largo que conduz o homem ao inferno.

  17. Tenho acompanhado os comentários e aprendido bastante.Gostaria de fazer uma pergunta aos irmãos sobre algo que me tem incomodado bastante sobre um fato bastante curioso ocorrido durante o minist‚rio de Jesus:
    A ressurreição de L zaro.
    Quando Jesus ressuscitou L zaro onde ele (L zaro) se encontrava? No c‚u (por ser amigo de Jesus), no inferno ou na sepultura?
    E a outra dúvida seria a seguinte:Dada a importância da doutrina sobre o inferno,como explicaremos sobre a ressurreição e Juízo Final?

  18. Muito bom este estudo,explicação muito boa,ainda mais nessa ‚poca que satan s tem tentado cobrir as verdades bíblicas, parabéns pelo estudo,só uma observação, eu acredito que um dia todas as almas seram exterminadas no lago de fogo,o lago da segunda morte.

  19. Ja procurei varios lugares algum artigo, estudo ou sermao sobre algumas abordagens de inferno e nao achei. Gostaria que comentassem sobre o q falam alguns irmaos de q a palavra inferno é realmente nao existe na Biblia é os q existem sao Sheol ( ou Hades ) é Geena e Tartaro.
    Li que sao 3 lugares distintos . e os textos que apontaram fazem total sentido.
    Poderiam comentar?
    http://desvendandoalenda.blogspot.com.br/2013/08/significado-biblico-de-sheolhades.html?m=1

  20. Interessante! Contudo, faltaram algumas definiçäes fundamentais, entre elas o conceito de ira de Deus. Não se trata, como ‚ para muitos, da raiva ou furor de Deus, mas de Sua santa reação ao pecado. além disso, não se pode falar de justiça divina em termos humanos. A Justiça de Deus deve ser vista, não como retributiva, mas restaurativa. O inferno decorre destas e outras compreensäes.

  21. Que ensino esclarecedor sobre o inferno e nos como cristãos devemos buscar a Deus em oração para um maior entendimento sobre esse tema Tão escasso em nossos dias e tenho aprendido que devemos a cada dia buscar com f‚ usar a compaixão para com o nosso próximo chorando por suas almas e procurando sair do nosso comodismo pregando a palavra de Deus.

  22. A paz do Senhor jesus o cristo…tenho uma Revelacao que o Espirito Santo di Deus me deu,i a principio e tao simples e muito facil de todo o homem entender, e este dicernimeto sempre tive sobre a realidade sobre o Inferno eterno…nao se trata de unicamente de uma percpicao humana e de algo tao natural, mas essa verdade que jesus cristo pregou e que raros pregadores pregam hoje. Um exemplo basico pra entender este comentario pergunte pelo menos para …(100 pesssoas nao crente se elas Acreditam sobre a existencia da Alma e na existencia do Inferno). O inferno e real e Eterno.Aos criticos desta doutrina verdadeira…….. entao por que acreditar em teologia falsas desenvolvidas por falsos profetas, sendo que di Deus vc ja recebeu uma revelacao pura e jenuina,eu nao quero acreditar que vc quer ver com seus proprios olhos,vc pode nao ter mais uma chance pense bem.ap-20:14 o falso profetas e seus seguidores.1tess-5:9… Amem muito bom pastor o seu estudo DEUS oa Bencoe.

  23. ótimo texto, ontem tive uma conversa com um colega da Adventista que disse que o inferno não existe, que não existe o fogo, não existe nada disso, e que o inferno ‚ a sepultura. Esse texto foi de tamanha ajuda e edificação.

  24. Excelente texto, aprimorei mais meus conhecimento acerca dessa doutrina. Tem muitas ferramentas para alertar aqueles que dizem não existir o inferno. O Deus que fez a  gua, fez a terra, fez o homem e sua alma, fez o universo e toda a criação também fez o c‚u e inferno.

  25. O inferno eterno ‚ uma ficção teológica e no m ximo uma figura de linguagem para impressionar povos ignorantes de outrora. Ora, existem milhares de seres humanos não cristãos no mundo, não porque são indiferentes a Cristo, não porque negam a cristo, mas porque são absolutamente convictos das suas próprias crenças onde o Deus teológico cristão não faz nenhum sentido. Não ‚ Cristo que ‚ negado mas sim a compreensão teológica cristã que se tem sobre ele, o que ‚ completamente diferente da indiferença ou da negação. Como pode Deus permitir que pessoas vão para o sofrimento eterno só porque professraram outros deuses com a mais absoluta sinceridade do seu coração? Como pode Deus enviar para o inferno pessoas boas, íntegras, honestas, que amaram o próximo? só porque não são cristãs? H  qualquer coisa de errado nisto, e ‚ f cil achar o que ‚. É a interpretação Bíblica que est  errada, ‚ afirmar que ‚ a Palavra de Deus o que ‚ simplismente uma interpretação humana das escrituras. Mas eu sei

  26. Inferno não existe, Inferno vem do Latin e a Bíblia foi escrito de Ebraico, Aramaico, Inferno significa algu‚m que esta no fogo e não morre, nome Inferno foi posto ou colocado, na Bíblia. Quando a Bíblia diz eterno ‚ de algu‚m que nunca vai mais existir.
    A Bíblia diz:

    Malaquias 4:1 e 3
    1.Pois eis que aquele dia vem ardendo como fornalha todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade, serão como restolho e o dia que est  para vir os abrasar , diz o Senhor dos ex‚rcitos, de sorte que não lhes deixar  nem raiz nem ramo.
    3.E pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de vossos p‚s naquele dia que prepararei, diz o Senhor dos ex‚rcitos.ÿ

  27. Bem amados irmãos, são tantas as discussäes a cerca deste tema, tantos estudiosos, exegetas, doutores, mestres Phd em Teologia. Mas sabe meus irmãos quando todos falam de tudo, eu me lembro da Cruz do Calv rio foi l  que meu Rei me resgatou e resgataria porque? Para não me ver destruído por mim mesmo. O pecado ‚ real, a morte ‚ uma só, o Cristo ‚ o Salvador. Não quero discutir se o inferno ‚ real ou não. Só quero me arrepender para estar com o Deus todo Poderoso. Quem quiser discutir, e provar que esta certo tente morrer sem Cristo mas ter ou não confirmado sua tese. Deus o abençoe Pastor pelo seu trabalho. Paz a todos!!

  28. Disse Jesus: Erram por não conhecer as Escrituras.
    Evidentemente, esse conceito(Inferno) est  em harmonia, não com a Bíblia, mas sim, com a Com‚dia de Dante e o Paraíso de Milton. Vine e Webster alistam o significado biblico das palavras, Haídes, Geena e sheol.

    É LAMENTáVEL que esse ensino(inferno) PAGÇO E CATÓLICO tenha penetrado tão profundamente na Cristandade.

    Jer. 19:5 – Construíram…queimarem seus filhos… procedimento que JAMAIS requeri e NUNCA me veio … mente desejar isso. (BKJ)

Deixe uma resposta para Valdino Busse Cancel reply

Please enter your comment!
Please enter your name here