O chamado para o ministério da Palavra

0
100

Nas Escrituras, do começo ao fim, Deus é o Senhor que chama. Ele chama graciosamente pecadores ao arrependimento e à fé em Cristo. Por obra e graça do Espírito Santo, aqueles que anteriormente estavam mortos em seus pecados, que eram escravos do mundo, da carne e do diabo, são chamados e regenerados para viver uma nova vida em Cristo, chamados para provarem o poder da vida vindoura, já nesta vida, chamados para descansarem na esperança da glória eterna.

Deus também chama esses pecadores regenerados e justificados para participar da renovação da criação. Nesse sentido, cada cristão tem um chamado especial para desempenhar na preparação para a renovação da criação. Esse chamado também é conhecido nas Escrituras como o sacerdócio real dos cristãos. Todos os chamados em Cristo são chamados para desempenhar sua vocação como vocação sacerdotal. Dessa forma, todo chamado é um sacerdócio santo. A mãe, o pai, o filho, o engenheiro, o arquiteto, o motorista, o professor, o mestre de obras, o médico, o marceneiro, o músico, sendo cristãos, são chamados para viver para a glória de Deus, como sacerdócio santo.

A partir do conceito do sacerdócio de todos os cristãos, aprendemos que o Novo Testamento repudia totalmente qualquer tipo de clericalismo, justamente porque todos os cristãos são sacerdotes. Não existe fundamento bíblico para a ideia de que alguns cristãos são sacerdotes e outros não. Todos os cristãos são sacerdotes, mas com diferentes funções. Nesse sentido, Deus, graciosamente, chama alguns membros dessa santa companhia sacerdotal para fazer aquilo que nem os anjos fazem: pregar o evangelho, as boas-novas da livre graça de Deus, que justifica pecadores por causa da obra de Cristo na cruz. E estes, chamados para pregar, ensinar e cuidar do povo de Deus, são sacerdotes tanto quanto todos os demais cristãos o são. Todavia, paradoxalmente, foram chamados para desempenhar a mais importante tarefa que existe: expor fielmente as Escrituras, edificar a igreja, preparando os cristãos para viver bem e apontando para estes os novos céus e a nova terra.

Esse chamado é uma obra interna de Deus, que chama os servos da Palavra. E embora seja interno, o chamado para o ministério inevitavelmente virá acompanhado por um testemunho externo. Ou seja, aqueles chamados para a pregação da Palavra demonstrarão dons e aptidões para o exercício do ministério. Eles são equipados pelo Espírito para pastorear, evangelizar, pregar e ensinar — e frutos visíveis serão evidenciados por conta desse chamado interno. E este será confirmado diante da igreja, por conta dos frutos externos da obra da graça que já aconteceu interiormente. Por isso, há a necessidade de se testar aqueles que afirmam serem chamados: estes devem evidenciar dons ministeriais — pregando, evangelizando, confortando — antes mesmo de serem indicados para uma escola teológica. Até porque não é uma escola teológica que forma pastores. São pastores que formarão outros pastores, e estes servirão à igreja
de Cristo.

E ainda que pastores sejam formados por outros pastores, o ensino teológico não pode ser desprezado. Escolas teológicas são importantes. Aqueles que foram chamados desejarão se aprimorar para desempenharem sua vocação, e buscarão preparo nessas escolas — enquanto são “mentoreados” por seus pastores. Nesse sentido, uma escola teológica deve ser o berçário dos futuros pastores. E um bom critério para julgar a qualidade dessa escola é buscar respostas para algumas perguntas primordiais: Essa escola oferece uma boa formação teológica? Os alunos são firmados na fé ortodoxa? A piedade é desenvolvida e nutrida? São preparados para a titânica luta por corações e mentes que será travada por toda sua carreira ministerial? Reafirmando: são pastores que formarão outros pastores; será caminhando com pastores mais experientes que os futuros pastores aprenderão a pregar, ensinar, visitar, aconselhar e fazer bem tudo o mais que o chamado pastoral exige. Mais do que isso: serão pastores, servindo como modelos, que atrairão outros pastores para o ministério. Foi isto que William Perkins (1558-1602) ensinou em seu clássico The Art of Prophesying: “Se os ministros são poucos em número, então faça tudo o que puder para aumentar esse número. Quanto mais ministros, menor o fardo posto sobre cada ministro individualmente. Assim, que cada ministro em seu ensino e em sua conversação trabalhe de tal modo que honre o seu chamado, a fim de que outros possam ser atraídos a partilhar de seu amor pelo ministério.”

1 COMENTÁRIO

  1. ESTÇO FAZENDO DO PéLPITO DAS IGREJAS, E DA PALAVRA DE DEUS, UMA GRANDE DISPUTA DE PODER E FAMA COM INTERESSES
    PURAMENTE HUMANOS, OS TRABALHOS NAS IGREJAS AS CRUZADAS, VIRARAM UM AGENTE LARANJA PARA ARRANCAR DO POVO SOMAS ASTRONâMICAS DE DINHEIRO, TRAZENDO PREGADORES ESTRELAS, E CANTORES ESTRELAS, CLARO ESTRELAS NEN SEMPRE PARA DEUS, MAS QUE MECHEM COM O EMOCIONAL DO POVO, AINDA BEM QUE DEUS PRESERVA ALGUNS COMO, DRïS NICODEMOS, FRANKLIM, HERNANDES DIAS, SHEDD, ENTRE OUTROS QUE NÃO ADERIRAM AO LADO NEGRO, QUE É O PODER DE MEXER COM O POVO, ATRAVÉZ DO DOM DA PALAVRA ACRESCENTANDO O LADO EMOCIONAL EXAGERADO DO BRASILEIRO, E ISSO DIGO COM TRANQUILIDADE PORQUE NASCI PARA O EVANGELHO EM UMA DENOMINAÇÃO PENTECOSTAL, QUE DEUS NOS AJUDE.

  2. Servir a Igreja de Cristo eis a questão . Muitos querem ser abençoados, mas, poucos querem a responsabilidade de servir. Poucos querem o dono da benção, porque isso implica em obediência e entrega. Servir a Cristo ‚ tomar as dores de Cristo e fazer com que o sofrimento dEle não seja em vão . Aceitar Cristo ‚ abrir mão dos nossos desejos para fazer a vontade de Deus, pois ela ‚ boa perfeita e agr davel. Muitos pastores só estão preocupados com seu status, sua condição financeira, fazem um curso de Bacharel, uma Pó-graduação um mestrado, mas Jesus no coração que ‚ bom, nada. A profissão de f‚ de um ministro deve ser única e exclusivamente a Bíblia, que ‚ o manual de instrução de todo crente que est  verdadeiramente em Cristo. Um abraço e muita paz para todos. No amor de Cristo, seminarista Rosa.

  3. TENHO SIDO EDIFICADO ATRAVÉS DE SEU MINISTÉRIO. UMA COISA TENHO OUVIDO DE VOCÒ E NÃO TENHO CONCORDADO: DEUS ESCOLHEU OS PIORES PECADORES. POIS SE EXISTEM PIORES PARA DEUS OS MELHORES FORAM DEIXADOS, OU SEJA, Há OBRAS. PAULO SE CONSIDEROU O PIOR DE TODOS E CREIO QUE DEVEMOS CONSIDERAR O MESMO, MAS PARA DEUS SOMOS PECADORES, NEM PIOR E NEM MELHOR. NÃO É ASSIM?

  4. Não ‚ de se ficar admirado ou surpreso por falsos profetas que temos visto frequentemente nos púlpitos,pois são sinais dos tempos vindouros,nem devemos nos entristecer por pastores que caem em enganos ou adult‚rio ,não devemos nos apegar a homens e sim olhar para Cristo e fazer sempre o que ‚ do agrado de Cristo.Deixe que no último dia Cristo julgue cada um de nos.

  5. Boa tarde! Irmãos, não cabe a nós julgar ou avaliar o desempenho de ningu‚m. Cada um de nós tem um encontro marcado com o Criador para prestar contas das obras que realizamos. Deus abre e fecha portas, e o sucesso do minist‚rio vai depender da aprovação do car ter do líder. Nos dias de hoje muitas pessoas que recebem o chamado ministerial se enredam em negócios desse mundo, deixando de lado os planos de Deus. Precisamos formar discípulos, o próprio Jesus não confiava em multidão e seguidores. Graça e paz pra todos!

FAÇA UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here