Não leia os salmos somente com propósitos doutrinários

0
885

Uma das características que devemos saber a respeito dos salmos é que são poemas. Esse é o significado de salmo. Eles devem ser lidos ou cantados como poemas ou canções. A relevância dessa observação é que a poesia ou o canto tem a finalidade de incentivar e enlevar os sentimentos do coração. Os salmos, portanto, não devem ser somente estudados, mas também sentidos.

Quem lê os salmos unicamente com propósitos doutrinários não o faz pelo que, de fato, eles são. São salmos, cânticos, poesia. Eles têm características musicais, e a razão para os seres humanos expressarem verdades por meio da música e da poesia é despertar e exprimir emoções que condizem com a verdade.

Uma das razões para Salmos ser apreciado de forma tão profunda por tantos cristãos está no fato de que seus poemas expressam um surpreendente leque de emoções, entre os quais:

Solidão: “Estou só e aflito” (Sl 25.16).

Amor: “Eu te amo, ó Senhor, minha força” (Sl 18.1).

Reverência: “Que todos os habitantes do mundo o reverenciem!” (Sl 33.8).

Tristeza: “Minha vida é consumida em tristeza” (Sl 31.10).

Arrependimento: “Arrependo-me de meu pecado” (Sl 38.18).

Contrição: “Um coração quebrantado e contrito, ó Deus, tu não desprezarás” (Sl 51.17).

Desânimo e perturbação: “Por que você está abatida, ó minha alma, e por que se perturba dentro de mim?” (Sl 42.5).

Vergonha: “A vergonha cobriu meu rosto” (Sl 44.15).

Exultação: “Em tua salvação ele exulta imensamente!” (Sl 21.1).

Deslumbramento: “Isso é um feito do Senhor; é maravilhoso aos nossos olhos” (Sl 118.23).

Prazer: “Seu prazer está na lei do Senhor” (Sl 1.2).

Alegria: “Puseste mais alegria no meu coração do que eles têm quando há cereal e vinho à vontade” (Sl 4.7).

Contentamento: “Em ti me alegrarei e exultarei” (Sl 9.2).

Temor: “Sirvam o Senhor com temor” (Sl 2.11).

Ira: “Irem-se e não pequem” (Sl 4.4).

Paz: “Em paz me deito e durmo” (Sl 4.8).

Mágoa: “Meus olhos estão consumidos pela mágoa” (Sl 6.7).

Anseio: “Tu, Senhor, ouves os anseios dos afligidos” (Sl 10.17).

Esperança: “Que o teu amor inabalável, Senhor, seja sobre nós, como de ti esperamos” (Sl 33.22).

Quebrantamento: “O Senhor está perto dos que têm o coração quebrantado e salva os oprimidos de espírito” (Sl 34.18).

Gratidão: “Renderei graças na grande congregação” (Sl 35.18).

Zelo: “Pois o zelo pela tua casa me consome” (Sl 69.9).

Sofrimento: “Estou aflito e em sofrimento” (Sl 69.29).

Confiança: “Ainda que a guerra se levante contra mim, ficarei confiante” (Sl 27.3).

De forma mais explícita que os demais livros da Bíblia, Salmos foi planejado para despertar e moldar nossas emoções à medida que nos provê instrução. Ao lermos e cantarmos os salmos da maneira que foram planejados para ser lidos e cantados, nossas emoções e nossa mente são moldadas por suas palavras.

Trecho extraído e adaptado da obra “Moldado por Deus: mente e coração em sintonia com os Salmos“, de John Piper, publicada por Vida Nova: São Paulo, 2019, pp. 8-10. Traduzido por Vanderlei Origoza. Publicado no site Teologia Brasileira com permissão.

FAÇA UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here