Boletim informativo de William Lane Craig

0
1854

Boletim informativo de William Lane Craig, abril de 2012
Detalhes da viagem ao Brasil

Jan e eu  fizemos uma viagem ao Brasil em março, nossa primeira viagem internacional neste ano. Com a emergência do Brasil, no século XXI, como uma das grandes potências econômicas mundiais, e com o rápido crescimento da igreja cristã no Brasil, esta nação está preparada para causar um impacto mundial pelo Evangelho durante este século. Infelizmente, o evangelicalismo brasileiro, muito comumente, é por demais emotivo, centrado em personalidade e anti-intelectual, o que produz um grande número de desvios e faz com que a igreja penda para o evangelho da prosperidade, a heterodoxia e, às vezes, até o sincretismo, misturando espiritismo com cristianismo. A igreja brasileira precisa, desesperadamente, de ensino da sã doutrina e de apologética, se quiser concretizar seu potencial para
o Reino.

Aqui entra Vida Nova, a patrocinadora de nossa viagem. Vida Nova é uma editora visionária, que está comprometida em trazer o melhor conteúdo de teologia e apologética para a igreja brasileira. Até agora, publicaram cinco de meus livros, e fizeram o lançamento de Apologética contemporânea [tradução de Reasonable Faith, 3.ed.] durante nossa viagem. Um de seus jovens editores, Djair, serviu como organizador da viagem, tradutor e fiel guia em toda a visita. Sinto-me muito privilegiado por ter uma pequena participação, junto a Vida Nova, na capacitação da igreja brasileira para o ministério!
 Nossa viagem começou com uma situação séria. No começo do dia de nossa viagem, Jan me surpreendeu dizendo: “Precisamos orar mais por essa viagem”. Naquela noite, duas horas depois de termos iniciado o voo, quando estávamos para cruzar o Caribe, o piloto anunciou: “Senhoras e senhores, tenho boas e más notícias. A má notícia é que temos uma falha mecânica que nos obrigará a voltar para Atlanta. O freio antiderrapante do avião não está funcionando corretamente. A boa notícia é que o aeroporto de Atlanta tem longas pistas de pouso!”. Que ótimo! Ele explicou que, ao inverter a direção das turbinas, após a aterrissagem, seria possível parar o avião. Alguns minutos depois, ele anunciou: “Senhoras e senhores, não se assustem se vocês virem o escorrimento de líquido nas pontas das asas do avião. Estamos despejando combustível para deixá-lo o mais leve possível para o pouso”. Quando chegamos a Atlanta, ele voou ao redor da cidade várias vezes, a fim de queimar o máximo de combustível possível antes de pousar. Ele conseguiu fazer um pouso bem suave, e dentro de uma hora fomos transferidos para outro avião e decolamos para São Paulo (com suas curtas pistas de pouso!). Aparentemente, o Senhor ainda tem planos para nós aqui nesta Terra.

Em São Paulo, duas participações em nível universitário marcaram o começo e o fim de nossa série de palestras: a primeira na Faculdade e Mosteiro de São Bento (fundado em 1598), e a última na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Os monges do São Bento realmente nos estenderam o tapete vermelho e fizeram ótimo trabalho de divulgação na comunidade católica. Naquela noite, o grande auditório do São Bento estava lotado, com pessoas em pé nos corredores laterais, nos fundos, e pessoas sentadas no corredor central. Descrevi a renascença da filosofia cristã no mundo anglófono, algo que ainda está por chegar ao Brasil, cujos departamentos de filosofia são, aparentemente, dominados pela filosofia francesa e pelo marxismo. 

 Após minha palestra, um estudante de outra universidade me escreveu uma carta em que compartilhou o seguinte:

Meu nome é ________, tenho 21 anos e sou estudante de filosofia (terminei meu bacharelado no ano passado, e estou me graduando neste ano na melhor universidade da América do Sul), e sou professor de filosofia para estudantes do ensino médio em uma escola pública aqui em São Paulo.

Infelizmente, como alguém lhe informou corretamente e foi mencionado por você na palestra no São Bento, a filosofia da religião, especialmente a questão da existência de Deus, não é discutida nos departamentos de filosofia de nenhuma de nossas universidades. Ano passado tentei propor algo como um debate ou palestra sobre o assunto em minha universidade, e meus professores responderam que essa questão ‘não tem importância’ (?!), debates como esse seriam ‘inúteis’ (?!?!), pois a questão ‘já está resolvida’ (?!?!?!). Após esse episódio, eu me perguntei: “como uma questão tão significativa não tem importância?”. É uma questão que praticamente todos os filósofos tentaram responder. Mesmo que a questão não pudesse ser solucionada, debates sobre o assunto não são inúteis, eles são, no mínimo, uma grande oportunidade de aprender sobre lógica, ética e epistemologia, por exemplo. E, por fim, se a questão já está resolvida, qual é a resposta?

Minha palestra foi eletrizante para os crentes que estão cercados, lutando em um ambiente tão hostil. Um estudante de filosofia na Faculdade de São Bento me disse que, no dia seguinte à minha palestra, seus professores estavam todos entusiasmados em fazer apologética cristã e filosofia da religião! A Faculdade até me pediu permissão para publicar minha palestra em português, em seu periódico acadêmico. A palestra foi não somente um incentivo aos cristãos evangélicos, mas também serviu para expandir as relações de Vida Nova com a comunidade católica, o que pode ter implicações ainda mais amplas.

Minha palestra no Mackenzie foi uma defesa da verdade objetiva sobre Deus contra certos desafios do pensamento moderno e pós-moderno. O chanceler e o reitor da universidade estavam lá para dar início ao evento, que começou com todos cantando o Hino Nacional! Quinhentas pessoas participaram da palestra e outras duas mil assistiam pela internet. Foi uma noite maravilhosa e encorajadora!

No período entre esses dois eventos, Vida Nova organizou duas conferências em que palestrei. A primeira foi no Congresso Brasileiro de Teologia Vida Nova para teólogos e seminaristas. Aproximadamente quatrocentas e cinquenta pessoas participaram desse congresso, em que falei, em quatro oportunidades, sobre vários tópicos relacionados à defesa da fé cristã. A segunda conferência foi no Rio de Janeiro; supostamente, era uma conferência para pastores, mas, pelo que se via, poderia ser uma conferência para jovens! Foi muito encorajador ver todos aqueles jovens, homens e mulheres em seus vinte e poucos anos, tão entusiasmados com sua fé e desejosos de aprender mais.

Outro evento foi uma palestra com sessão de autógrafos, por ocasião do lançamento de Apologética contemporânea, em uma enorme livraria em São Paulo (FNAC). O público se espalhou para além da sala, à medida que as pessoas chegavam para ouvir o resumo de minha defesa da fé cristã, seguido por um período de perguntas e respostas. Que local importante para dar testemunho público de Cristo!

Durante toda a semana, ocorreram entrevistas, arranjadas por Vida Nova, com vários meios de comunicação importantes, incluindo a revista semanal mais popular do Brasil. Nossos amigos de fala portuguesa podem ler essas entrevistas aqui. Boa parte de minhas palestras foi filmada e, depois de serem editadas, estarão disponíveis no YouTube.

Por Cristo e Seu Reino,
 
Bill & Jan

Tradução: Caio Peres

 

Confira os vídeos no Youtube:

Oração: o que fazer quando nossas orações não são respondidas – William Lane Craig

Defenda a fé cristã: Como a apologética pode ser útil para igreja – William Lane Craig

William Lane Craig no Mackenzie

FAÇA UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here